Cresce invasão de garimpeiros no Rio Madeira

fotos: Silas Laurentino

Autazes( AM)- A cada dia aumenta o número de balsas destinadas a extração de garimpo, que estão invadindo o leito do Rio Madeira, no município de Autazes, a 111 km de Manaus(AM). Enquanto persiste o impasse sobre de quem é a responsabilidade de conter a invasão (se é do Governo Estadual ou Federal), a chama Vila Flutuante dos Garimpeiros cresce com a chegada de mais balsas e dragas, que se deslocam pelo rio em direção a Comunidade Rosário.

A corrida pelo ouro pode colocar em risco um dos maiores afluentes do Rio Amazonas, porque a grande concentração de estruturas de extração de minério em um ponto do rio pode significar a poluição das águas do rio por mercúrio e outras substâncias químicas e metais pesados. Além disso, as dragas colocadas pelos garimpeiros até o fundo do rio para extração de minério pode gerar prejuízos para os leito hídrico.

Ações

O vice-presidente da República, Hamiltom Mourão, anunciou que Policia Federal e Marinha preparam um operação para conter a ação dos garimpeiros e o crescimento da chamada Vila Flutuante , instalada em uma área de exploração ilegal de ouro, mas que está atraindo os garimpeiros há, pelo menos, 15 dias para a localidade. “A Polícia Federal e a Marinha já estão se preparando pra agir. “A Marinha tem que, pô, verificar qual é a questão, quem está ali na legalidade, qual é a embarcação legal. E o pessoal que está na ilegalidade vai ter a embarcação apreendida”, respondeu Mourão, ao site G1.

Caravana do Ouro

Segundo informações prestadas pelo Ipaam, as balsas estão enfileiradas em busca de ouro em Autazes, nas proximidades da sede do município de Nova Olinda do Norte. Tudo indica que os próprios garimpeiros teriam identificado ouro na região e convocado mais pessoas para a localidade.

Veja a nota do Ipaam:

O Ipaam esclarece que, ao identificar a presença das balsas mineradoras, comunicou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para alinhamento de providências.

O diretor-presidente do Ipaam, Juliano Valente, esclarece que as balsas estão ancoradas no rio Madeira, área de competência dos órgãos federais. A regulamentação da exploração mineral na área, afirmou, é de competência da Agência Nacional de Mineração. O licenciamento é de responsabilidade do Ibama e a atuação, em caso de crimes de exploração ilegal de minério, é competência da Polícia Federal. Ainda sobre a trafegabilidade e de poluição hídrica, o acompanhamento é feito pela Marinha.

Embora a competência de atuação na área seja federal, Juliano Valente informou que o Governo do Estado está à disposição para atuar em parceria com os demais órgãos e que, ontem (24/11), fez uma reunião de alinhamento com representantes do Ibama, Marinha e Polícia Federal.  “O Governo do Estado se coloca à disposição dessas forças no sentido colaborativo. Então todas as ações que advirão desses órgãos o Governo do Estado está no apoio. Nós apoiaremos as ações administrativas do Ibama. E as forças de segurança do estado estão à disposição dos órgãos federais para tomarem as ações devidas”, frisou Juliano Valente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: